O tempo Vida !

O tempo Vida !
Não se troca um amor velho por um amor novo.Banners original do blog

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Megabacteriose


É uma doença crónica que afeta várias espécies de aves, caracterizando-se principalmente por emagrecimento progressivo, seguido de morte.Também é conhecida como síndrome "going light" dos periquitos australianos.

A megabacteriose é causada pelo fungo Macrorhabdus ornithogaster, anteriormente chamado de megabactéria. Suspeita-se que este fungo seja parte da flora gastrointestina normal, sendo algumas vezes encontrado nas fezes de aves saudáveis e, em aves susceptíveis e imunodeprimidas, poderia causar a doença.
Sintomas:

Sinais clínicos de diarréia escura, fezes com raçăo năo digerida, emagrecimento, depressão, dificuldade respiratória, incoordenaçăo motora, penas arrepiadas. O quadro pode ter a duraçăo de 12 a 18 meses, com períodos intermitentes de recuperaçăo. É citado que canários também podem apresentar sinais nervosos quando infectados pelo fungo.

Estudos relatam que filhotes de pais positivos para megabacteriose já nasçam com a doença, não se sabendo se ela é transmitida via ovo ou pelas fezes após a postura. Desta forma, recomenda-se que pais positivos não choquem os ovos para se evitar uma possível transmissão.
As aves geralmente estão muito magras quando morrem. As lesőes são encontradas no proventrículo e ventrículo, mas se concentram mais no proventrículo, que está distendido, contendo muito muco e as vezes algumas sementes, com pequenas lesões hemorrágicas.
Os intestinos apresentam-se hemorrágicos com fezes mucosas e escuras.

Tratamento:
Sabe-se que há uma baixa resposta quando são utilizados antibióticos. Devido à natureza fúngica do agente recomenda-se a utilizaçăo de antifúngicos. A nistatina, o cetoconazol e a anfotericina B são recomendadas no tratamento desta doença, as quais devem ser administradas por via oral, na água de beber ou diretamente no bico das aves afetadas durante 4 a 6 semanas.
Existe no exterior um medicamento a base de anfotericina B para o tratamento da megabacteriose denominado de Megabac-S (Vetafarm).

Recomenda-se também a acidificação do estômago das aves (porque a megabactéria somente sobrevive em ambientes alcalinos) através da administraçăo pelo bico, de vinagre ou soluçőes contendo lactobacilos (Yakult).

Após a confirmação de um surto de megabacteriose recomenda-se a completa limpeza e desinfecção do ambiente e das gaiolas das aves, com troca de poleiros, bebedouros e comedouros. Também realizar a aplicação de antifúngicos, como as velas de enilconazole associadas a vassoura de fogo nas gaiolas. Estas açőes também podem ser realizadas periodicamente como medidas preventivas.
Deve-se lembrar que a megabactéria é transmitida pelas fezes, portanto a limpeza e desinfecção periódica do local onde as aves estão alojadas e suas gaiolas, devem ser obedecidas. Aves de diferentes espécies não devem ser criadas juntas e não deixar que pais positivos choquem seus ovos, são medidas que ajudam a controlar a doença.

http://www.criadourokakapo.com/index.php?secao=artigocor000094
Stefanie Dickert Segabinazi
Maristela Lovato Flores
Revista SOSM

Fonte do texto e Imagem
http://canarioecia.blogspot.com/2009_07_01_archive.html

Cantaxantina, Canário Vermelho


Para melhorar a intensidade do fator vermelho deve-se adicionar ŕ farinhada um pouco de cenoura ralada na proporçăo de 50 gramas para 200 gramas de farinhada!

Os canários com fator vemelho năo devem ser expostos ao sol para năo perde a uniformidade da pigmentaçăo

Os canários que possuem o fator vermelho no sangue são parentes (distantes) do pintassilgo da venezuela, uma ave que por natureza é vermelha e preto. A cor vermelha não existe no canário silvestre, sendo obtida no canário doméstico a partir do cruzamento híbrido entre o macho do Cardinalito da Venezuela e a fêmea do canário.

O Cardinalito tem na sua herança genética o gene vermelho que lhe permite receber o carotenóide vermelho (cantaxantina), contido em determinados vegetais.

Esta operação decorre principalmente no fígado, motivo porque só os pássaros saudáveis devem adquirir a cor vermelha uniforme.
Como estamos a falar de um carotenóide, a sua assimilação só terá interesse durante o período da muda da pena, quando a cor vermelha do canário desaparece.

Para esses canários você pode oferecer Cantaxantina que é um produto natural. Ele intensifica o vermelho do pássaro e dá uma cor mais uniforme.

Você pode oferecer à fêmea que está alimentando os filhotes e dessa forma realçar o vermelho dos bebês que estão se desenvolvendo. Existem diversos produtos com cantaxantina no mercado, mas é importante lembrar que APENAS CANÁRIOS COM FATOR VERMELHO devem consumi-lo. Caso contrário você pode estragar a cor dos outros canários.

Os criadores que possuem diferentes cores de canário costumam deixar as gaiolas com cantaxantina sempre abaixo das demais, pois um pouco dela que caia em outra gaiola pode ser suficiente para alterar as cores das matrizes.

Os canários deste fator dividem-se em 2 grupos, vermelho e alaranjado, que por sua vez também se dividem em outros 2 grupos, os de fundo claro (Lipocrómicos) e fundo escuro (Melânicos).

Algumas verduras ajudam a realçar a cor, como a cenoura, beterraba e o pimentão vermelho (com semente).



Fonte do Texto e Imagem do Blog que recomendo
http://canarioecia.blogspot.com/2009/07/canario-vermelho-e-cantaxantina.html

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Sanhaçu

A visita do Papai (e esposa!)


(Macho)



Sanhaçu-papa-laranja (Thraupis bonariensis - 18 cm)

Esse casal de sanhaçus têm nos visitado com bastante frequência. Além da vasilha de água fresquinha todos os dias, tenho deixado também uma banana. No início eu até tirava um pedaçinho da casca para facilitar, mas eles não precisam de facilidades desse tipo. Quando descobrem um lugar onde encontram comida, aparecem todos os dias e, literalmente, devoram tudo. Eles adoram banana e são tão insaciáveis quanto os seus primos, sanhaçus-do-coqueiro e sanhaçus-cinzentos, que também nos visitam diariamente. Na época em que fiz essas fotos (dez/2008), eu ainda estava aprendendo sobre as preferências desses bichinhos e descobri que os morangos não são muito apreciados por eles, por isso, agora, é só banana e água.
(Ana)





Femea:





http://blogdosilvioedaana.blogspot.com/2009_05_01_archive.html

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Bacurau


Espécie: Nyctidromus albicollis (Gmelin, 1789)
Nome em português: bacurau
Nome em inglês: Pauraque
Assunto(s): Ave
Sexo: Fêmea
Idade: Indeterminada
Ação principal: Dormindo


Local: Cachoeira Paulista/SP Os bacuraus vivem no mundo inteiro, principalmente na América do Sul (incluindo o Brasil), América Central (até o México), e gostam de lugares quentes. Caçam durante a noite voando com a boca aberta e comem insetos até o amanhecer.


Fonte Web
Imagem do google

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...