O tempo Vida !

O tempo Vida !
Não se troca um amor velho por um amor novo.Banners original do blog

sábado, 7 de agosto de 2010

Gavião-carijó (Buteo magnirostris)






Classe: Aves
Ordem: Falconiformes
Família: Accipitridae
Nome científico: Buteo magnirostris
Nome vulgar: Gavião-carijó
Categoria: Não consta


O nome popular desta espécie refere-se ao padrão de estrias encontrado na face central. Trata-se de uma das espécies de gavião mais comumente encontradas no Brasil, sendo rara nas florestas virgens. Desloca-se principalmente por vôo batido, mas pode aproveitar as correntes ascendentes de ar quente, planando em órbitas circulares, como fazem os urubus. Alimentação: artrópodes, peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Como método de caça de vertebrados, este gavião, assim como a maioria dos Falconiformes, mata a presa através da pressão dos dedos munidos de fortes garras. Nidificação: Constroem o ninho, que mede cerca de 46 cm de diâmetro por 36 cm de profundidade, geralmente no topo de uma árvore, entre dois galhos verticais, com pedaços de madeira grossos e secos. O fundo do ninho, onde repousam os ovos, é revestido de folhas secas. Os dois ovos, esbranquiçados com manchas pardas, que medem 49 x 38 mm, são incubados pela fêmea. Durante o período de incubação, a fêmea é alimentada, durante o dia, pelo macho. Os filhotes, cobertos por uma penugem rala e de olhos abertos, nascem inteiramente dependentes dos pais. Hábitat: matas ciliares, borda de matas, cerrados, cerradões e áreas urbanas. Tamanho: 36,0 cm
Fonte: USP

http://avesdocerrado.blogspot.com/

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Frango Resfriado.


É frango refriado é um caso sério.




Web Charges Avelinas
Imagem do google.

Doenças Aves


As doenças respiratórias são um dos problemas de saúde mais comuns nas aves. Muitas vezes, os sintomas passam despercebidas até ao momento em que a ave morre e já é tarde demais.

As aves têm um sistema respiratório delicado. Ao longo do tempo, o sistema respiratório foi-se adaptando às exigências colocadas pela capacidade de voar e as aves têm, por isso, uma taxa de metabolismo elevada. Devido a esta particularidade, eram utilizadas para a detecção de fumos tóxicos em minas, já que as aves eram mais rapidamente afectadas do que os humanos. Assim, as doenças respiratórias tendem a evoluir rapidamente nas aves, deixando aos donos pouco tempo para identificar sintomas.

Sinais de doença

Movimentos exagerados com a cauda quando a ave está em repouso

A cauda das aves movimenta-se para cima e para baixo cada vez que a ave respira. Numa ave saudável, estes movimentos são quase imperceptíveis. Numa ave com problemas respiratórios, o movimento acentua-se. O movimento da cauda é frequentemente o sinal de doença que mais se destaca.

Descarga nasal ou ocular

Corrimento das narinas ou dos olhos, seja mais espesso ou mais líquido, é sinal de problemas respiratórios.

Nariz entupido

O bloqueio das vias aéreas pode acontecer em vez do corrimento nasal.

Respiração difícil

Por vezes é possível detectar que a ave está a ter dificuldade em respirar, simplesmente prestando atenção ao ritmo da respiração.

Perda de peso

Os problemas respiratórios podem levar à perda de peso pois muitas vezes inibem o apetite.

Espirros ou tosse

As aves também espirram e tossem, embora não tão frequentemente como os humanos quando têm constipações. Por vezes as aves fazem outros sons, uma espécie de gemido, que indica também problemas respiratórios.

Mudança do tom de voz

Quando há infecções na traqueia, a voz das aves pode-se alterar por afectar também a zona onde se encontram as cordas vocais.

Causas

Acreditava-se que as correntes de ar poderiam provocar doenças respiratórias nas aves. Apesar de ser extremamente desconfortável para as aves, as correntes de ar foram retiradas do rol de causas de doenças do tracto respiratório. Um dos principais factores a contribuir para estas doenças é o stress. As aves são particularmente afectadas pelo stress, enfraquecendo o sistema imunitário e tornando-as mais vulneráveis a doenças. A má alimentação ou mais precisamente, deficiências de vitamina A estão também entre as explicações. Parasitas, mudanças drásticas e má higiene contribuem também para o aparecimentos destas doenças.

Diagnóstico

O veterinário pode recorrer a vários testes para diagnosticar a ave. A espécie pode ditar à partida a escolha de uns testes em detrimentos de outros, pois há espécies mais propensas a determinadas doenças do que outras. Os testes mais comuns são:

* Recolha de amostras das descargas nasais ou oculare;
* Lavagens para obter amostras do ambiente nos sacos aéreos e traqueia;
* Radiografia aos pulmões e recolha de sangue também são utilizados;
* Por vezes por pode ser necessária uma endoscopia.


Tratamento

O tratamento das infecções respiratórias passa quase sempre pela administração de medicamentos, geralmente antibióticos, mas podem ser também receitados desparasitantes ou fungicidas, dependendo da doença que afecta a ave. Suplementos de vitamina A podem ser recomendados para fortalecer a ave, mas não se focalizam no tratamento da doença. Em aves mais débeis, pode ser necessário o internamento, a aplicação de medicamentos injectáveis e a alimentação intravenosa.

Doenças comuns

Existem várias doenças que afectam o tracto respiratório. Podem ser de origem vírica, bacterial, parasitárias, entre outras. Algumas das mais comuns são:

Aspergilose

Mais comum em Papagaios cinzentos, a Aspergilose e cusada pela inalação de um fungo, o Aspergillus fumigatus. Na maioria dos casos, as aves não sobrevivem, muito devido à tardia identificação da doença.

Ácaros traqueais

Mais comum em canários, periquitos e frigilídeos. Os ácaros alojam-se na traqueia ou nos sacos de ar.

Psitacose / Clamidiose

Mais comum em Periquitos, Papagaios Amazónicos e Caturras. É uma doença transmissível ao Homem, causando infecções graves e por isso deve ser testada, mesmo em casos de aves que já faleceram.

Conjuntivite

A conjuntivite caracteriza-se pela vermelhidão dos olhos. Se não for tratada, pode evoluir para uma sinusite.


Fonte da Pesquisa=>http://m.arcadenoe.pt/

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Postura e Choco



Na época do acasalamento é conveniente aparar as penas da cloaca dos canários para favorecer a cópula, principalmente naqueles de penas longas!

A reprodução dos canários dependente diretamente do período de exposição à luz solar. A medida que os dias vão ficando com mais horas de luz, as aves passam por mudanças fisiológicas e hormonais, ocorrendo a reprodução.

Muitas espécies necessitam de dias com pelo menos 14 horas de luz para iniciarem a reprodução. Assim, mantê-las em local bem iluminado pelo sol é importante (não deixar diretamente exposto ao sol, pois podem morrer de calor!).

Ofereça uma alimentação rica e com vitaminas (especialmente Ferro e Cálcio), alimentos molhados como verduras e ovo cozido também insentivam o macho a cantar e dão o "clic" da maternidade na fêmea.

Para a fêmea é importante ter um macho em condições de reproduzir, que não seja velho nem novo demais, de modo que venha a apresentar o comportamento de fazer ninho e botar ovos. Para chocar e cuidar dos filhotes é necessário que exista comportamento reprodutivo entre o casal. Assim, você precisa de um bom canário macho reprodutor junto a sua fêmea em postura.

Se a canária puser os ovos e não chocá-los, verifique se não existem ectoparasitas no ninho (piolhos) ou nas aves - são pequenos e devem ser observados atentamente. É preciso também saber se a fêmea não está doente e se o ninho está em local adequado.

Aves doentes não ficam no ninho.

Se a fêmea não chocar os ovos, a última opção (caso você não tenha uma chocadeira em casa) é passá-los ao ninho de outra canária que esteja no processo de postura e torcer para que ela os adote.

É comum que a canária não choque os primeiros ovos que são colocados. Ela espera até por o último e passa a chocá-los todos juntos, pois o instinto diz que assim os filhotes nascerão no mesmo dia e não restará um menor e mais fraco.

Não são todas as fêmeas que possuem esse comportamento e por isso existem em pet-shops ovinhos de plástico para venda. Resume-se em retirar o ovo colocado pela fêmea a substituí-lo pelo ovinho de plástico e assim sucessivamente conforme os ovos sejam postos. Quando a fêmea acabar a postura, você retira os ovinhos de plástico e devolve os ovos verdadeiros para que ela os choque



PS: o ovo só desenvolve quando é chocado pela ave, enquanto eles estiverem fora da gaiola devem ser colocados em um recipiente seguro e acolchoado, com entrada de ar e livre do sol e da umidade. É indicado que se coloque o recipiente com os ovos em algum local alto para evitar que crianças ou animais domésticos mexam neles.
Fonte do texto da Pesquisa-->http://canarioecia.blogspot.com/

Problemas - Reprodução Canários



Existe o período do ano em que os canário entram em muda (ver muda encruada). Durante a muda as taxas de ferro e cálcio ficam muito baixas e a ave fica debilitada
Se o canário cruzar durante esse período, é preciso que você supra suas necessidades de vitaminas, cálcio e ferro, para que a ave não venha a adoecer.
Se o macho estiver fraco, ele provavelmente não conseguirá galar os ovos e isso desgastará a fêmea, que irá fazer o ninho, por e chocar os ovos vazios. Esse trabalho em vão, estressa a fêmea que fica cansada e indisposta para as próximas cruzas.
Uma fêmea irritada não choca os ovos e pode jogá-los para fora do ninho



É preferível segurar a cruza, para que no período certo a fêmea e o macho estejam em ótimas condições físicas e mentais.
Passado o período da muda, é importante lembrar que a fêmea não deve reproduzir seguidamente durante o resto do ano. A reprodução desgasta a canária demais e ela fica cada vez mais fraca e sucetível a doenças. As penas caem por estresse e ela pode encruar a muda




Fêmea com perda de penas devido estresse.
Ao chegar a este estágio, a fêmea deve ser separada e receber alimento balanceado e vitaminas até recuperar a saúde.

http://canarioecia.blogspot.com/

domingo, 1 de agosto de 2010

Aves Raras


A poluição dos rios e lagos leva à extinçãp de espécies raras de aves,
que nidificam e vivem nas suas margens em harmonia com a natureza.



Para que "Nunca Mais" aconteçam acidentes que venham conspurcar o nosso
ambiente, a nossa terra e a vida de todos os seres vivos, aqui deixo
algumas ideias para mostrar a importância de sermos todos ecologistas:





http://abrangente.blogspot.com/

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...