O tempo Vida !

O tempo Vida !
Não se troca um amor velho por um amor novo.Banners original do blog

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Mocho -Real


Classificação: É uma ave
Características morfológicas: Tem uma envergadura de 1,8 metros
Revestimento: Penas
Locomoção: Voo
Alimentação: mamíferos e aves de tamanhos médios. É carnívoro
Reprodução: A reprodução é sexuada. É um animal ovíparo e põe entre 1 a 6 ovos que levam 32 a 35 dias a incubar.
Habitat: Zonas montanhosas e rochosas


Webbiliografia:
http://7mares.terravista.pt/

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Jesus e as Andorinhas



Por quê esses pássaros tem sua cabecinha, as costas e asas escuras? E fazem seus ninhos nas telhas das casas?

-Era uma tarde linda, cheia de sol, e o menino Jesus se distraia em modelar com barro, pequeninos pássaros. Depois que os acabava, deixava-os na relva, com as asinhas bem abertas, para que o sol os secasse. Dos dedinhos habilidosos de Jesus, saiam verdadeiras obras primas! Modelava-os com uma perfeição de mestre! Dizem.Enquanto Jesus se entretinha em fazê-los, um menino mau o observava com olhos cheios de inveja. Num dado momento, não podendo dominar sua cobiça, ele cerrou os punhos numa atitude de ódio, aproximou-se dos pássaros e levantou o pé para esmagá-los. Mas Jesus percebeu o seu gesto e no mesmo instante, soprou as suas delicadas aves. Imediatamente aquele sopro divino deu-lhes vida e elas levantaram vôo, cantando alegremente.



Essas avezinhas tão meigas ficaram tão gratas a Jesus que resolveram construir seus ninhos nos beirais da sua casa, para estarem sempre ao seu lado. Mas o tempo foi passando e Jesus foi crescendo, tornou-se homem e foi crucificado. As andorinhas ficaram tão tristes, cobriram-se de luto e o acompanharam até o Calvário, piando tristemente. Dizem até que, elas se afeiçoaram tanto a Jesus que dos seus olhinhos redondos escorriam lágrimas de tristeza.
- A andorinha é o símbolo da felicidade, e afirmam que nas casas em cujos telhados elas constroem os seus ninhos, caem as bênçãos de Jesus.
Vamos refletir no poder sobrenatural e na bondade infinita do filho de Deus.

Pesquisas e imagens via internet

segunda-feira, 12 de abril de 2010

A maior e mais pesada ave carnivora é brasileira








A harpia (Harpia harpyja) é a mais pesada e uma das maiores aves de rapina do mundo, com envergadura de 2,5 metros e peso de até 10 quilogramas. É também conhecida como gavião-real ou uiraçu-verdadeiro - em oposição ao Uiraçu-falso (Morphnus guianensis), outra espécie de ave de rapina menor e de aparência muito semelhante.




Ambos os sexos têm uma crista de penas largas que levantam quando ouvem algum ruído. Como as corujas, elas têm um disco facial de penas menores que pode focar ondas sonoras para melhorar suas capacidades auditivas.



A harpia possui, como principais características físicas, olhos pequenos, um longo topete, a crista com duas penas maiores e uma cauda com três faixas cinzentas, que pode medir até 2/3 do comprimento da asa.



Esta ave da família Accipitridae possui asas largas e redondas, pernas curtas e grossas, e dedos extremamente fortes, com enormes garras, capazes até de levantar um carneiro do chão. Sua cabeça é cinza, o papo e a nuca, negros, e o peito, a barriga e a parte de dentro das asas, brancos. Tem entre 50 a 90 centímetros de altura, uma envergadura de até 2 metros e um peso variando entre 4 e 5,5 kg quando macho e entre 6 e 9 kg quando fêmea.





a caça:

As harpias são predadores tremendamente eficazes, com garras mais compridas do que as de um urso-cinzento. É uma águia adaptada ao voo acrobático em ambientes florestais de espaços fechados.

Elas se aproximam morfologicamente (não se sabe se filogeneticamente) de várias outras aves de rapina tropicais de grande tamanho adaptadas à caça de grandes animais arborícolas como macacos, preguiças, lêmures, etc., tais como a águia-coroada africana, a águia-das-filipinas e a águia-da-nova-guiné. Todas essas são chamadas de águias-pega-macaco em suas localidades de origem devido ao grande porte, que coloca animais maiores, como macacos, em seu cardápio.







onde habitão:





O habitat principal são as florestas tropicais e a espécie se dispersa geograficamente do México à Bolívia, na Argentina e em grande parte do Brasil, notadamente no Amazonas, vivendo em árvores altas, dentro de vasta mata, onde constrói seus ninhos. Habitava as matas brasileiras de forma abrangente. Hoje pode ser encontrado na Amazônia e visto raramente na Mata Atlântica. Na região amazônica da Guiana, onde foi bem estudado, verificou-se que é um predador sobretudo de mamíferos.





É rápida e possante em suas investidas sendo capaz de levar para a árvore uma presa de grande porte. Ela voa alternando rápidas batidas de asa com planeio. Tem um assobio longo e estridente e, nas horas quentes do dia, costuma voar em círculos sobre florestas e campos próximos. As harpias conservam energia se empoleirando silenciosamente, vendo e ouvindo por longos períodos de tempo. Elas caçam com curtas e rápidas investidas. As fêmeas, maiores, caçam presas mais pesadas do que os menores, mais ágeis e rápidos machos. Estas técnicas complementares podem aumentar as chances de sucesso na obtenção de comida. Grandes presas, como preguiças e macacos, costumam ser consumidas parcialmente até poderem ser transportadas para o ninho.
Fonte da pesquisa e Imagem do google
http://planetaanimal.spaceblog.com.br/

domingo, 11 de abril de 2010

Periquito-da-cara-suja


O periquito-cara-suja já foi encontrado em municípios de Pernambuco, em Quixadá e Ipu, no Ceará. Agora, está ameaçado de extinção.


Um estado de alerta para as aves do Brasil, com risco iminente de desaparecer nas próximas Outro pássaro é o Periquito-Cara-Suja (Pyrrhura griseipectus), encontrado apenas na região do Maciço de Baturité.

Segundo o biólogo da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis), Weber Andrade de Girão e Silva, estas duas aves são prioritárias para a conservação, devido à grave situação em que se encontram, sendo classificadas como espécies "Criticamente em Perigo de Extinção". Este é o último nível antes do desaparecimento na natureza, como já aconteceu com o Mutum-do-Nordeste (Pauxi mitu) e a Ararinha-Azul (Cyanopsitta spixii), que hoje só existem em cativeiro. No caso do Soldadinho-do-Araripe, há outro fator importante. É que a possível extinção dessa ave está diretamente ligada, também, a questão hídrica, já que fontes de água na área da Chapada do Araripe estão desaparecendo


Fonte da Pesquisa e Imagem
www.renctas.org.br/

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...