O tempo Vida !

O tempo Vida !
Não se troca um amor velho por um amor novo.Banners original do blog

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Como saber o sexo da sua calopsita? Como saber se é fêmea ou macho?








A maioria das mutações (colorações) apresenta dimorfismo sexual, isto é, consegue-se identificar o sexo visualmente, porém, apenas após a primeira muda de penas, quando então o macho sofre alterações na cor das penas, enquanto a fêmea não.
A cor cinza (silvestre) é o que melhor apresenta disformismo sexual, isto é, consegue-se identificar o sexo pelo fenótipo (visual) da ave, através da cor de suas penas.  A partir dos 5 meses de vida, o macho passa a ter aos poucos a cor cinza das penas do rosto substituidas pelo amarelo, e as penas do rabo perdem o rajado, sendo substituidas pela cor cinza, completando esse processo ao cabo de 1 ano de idade aproximadamente). As penas nas fêmeas não sofrem alteração.  Isso ocorre nas mutações cara branca, pérola, canela.  As únicas mutações que não ocorre alteração na cor das penas são o Cara Branca-Lutino e os Arlequins.
Além disso, algumas peculariedades de comportamento podem indicar o sexo. Geralmente são os machos que assobiam, cantam e podem até imitar palavras, e essas características podem ser percebidas a partir dos 4, 5 meses de vida.   As fêmeas podem até emitir algum assobio, canto, mas os machos são mais vocalizados. 
Para sabermos com segurança o sexo da ave podemos recorrer ao exame de "Sexagem pelo DNA" que gera resultados de alta confiabilidade em aves de qualquer idade, através da Bilogia Molecular. 
Muito procurado por criadores que precisam determinar o sexo, seja para formar um casal e gerar filhotes, ou apenas para tirar dúvida, é um exame que vem sendo realizado cada vez mais pela facilidade em colher o material e pelo preço do exame. 
O exame pode ser feito através da extração de 4 a 6 penas do peito da ave, ou do sangue através do corte de unha.  O resultado sai rápido e ainda vem acompanhado de certificado da sexagem. Laboratórios costumam cobrar em torno de R$ 13,00 para a realização do exame. Você mesmo pode coletar o material e enviar ao laboratório especializado ou seu veterinário pode fazer isso por você no ato da consulta.
As penas que caem naturalmente não servem para o exame de sexagem porque contém pouco material genético.  A pena solta-se sozinha porque o folículo que a gerou sofre uma morte programada das células que a seguram, daí a base da pena solta está cercada de células mortas, que não tem muito material de DNA.  Quando arrancamos a pena, a base vem cercada de células vivas, com bastante DNA.






Como saber o sexo dos Lutinos e Lutinos-pérola.
Os Lutinos tem essa cor predominante branca perolada, com a cabeça amarela, meio carequinha na cabeça(por falha de genética) e suas bochechas são mais cor laranja vibrante.
Quanto ao sexo Lutinos tem 75% de chances de ser fêmea...Se tiver sorte pode ser macho..certeza só com o dna..

Você  solicita o dna pelo laboratório tira 5 penas do peito da ave e manda por correio para o laboratório o resultado te mandam por email..
Fácil e pratico...se for comprar outra da mesma espécie eu sugiro a comprar manso também. e evite comprar outro Lutino não se deve cruzar ino & ino..

Galera, quero anunciar o novo integrante da minha familia... Um Lutino. O nome dele é Thor. Ele chegou hoje em casa, saudável porém, ainda está acostumando com o ambiente. Assim que estiver acostumado postarei as fotos e tudo sobre ele!
Então.. até a proxima!
bjks


http://amamoscalopsita.blogspot.com.br/2013/07/como-saber-o-sexo-da-sua-calopsita.html

domingo, 10 de setembro de 2017

Conheça as 5 maiores aves do Brasil

O Brasil é conhecido mundialmente por apresentar uma rica biodiversidade, principalmente quando falamos em aves do Brasil. São mais de 1900 espécies existentes em nossas matas e florestas dos diferentes biomas brasileiros. Mas você conhece as 5 maiores aves do Brasil e onde elas podem ser encontradas?

Não deixe de também conhecer as 5 menores aves do Brasil! Você irá se surpreender com essas maravilhas da avifauna brasileira. Mas agora vamos lá conhecer as 5 maiores aves brasileiras!


5º Lugar: Anhuma – Horned Screamer


A anhuma é a ave símbolo do Estado do Goiás e está presente na bandeira da cidade de Guarulhos. Pode chegar a medir até 0,8 metros de comprimento e chega a pesar cerca de 3,5 quilos.

Anhuma, ave símbolo do Goiás, Ave, maior ave do Brasil, birds, birding, birdwatching, nature, natureza e conservação, fotografia, animalÉ uma espécie que ocorre em áreas alagadas e a beira de lagoas, sendo mais comum na região da Ilha do Bananal/TO e no Rio Vermelho, a leste de Cuiabá/MT.

Sua alimentação é baseada em folhas de capim e raízes de plantas aquáticas.

A anhuma uma espécie tipicamente amazônica, mas há registros da espécie em quase todos os Estados Brasileiros.



4º Lugar: Garça-moura – Cocoi Heron



A Garça-moura é a maior das garças do Brasil, podendo atingir mais de 1,2 metros de comprimento e ter uma envergadura em torno de 1,8 metros. Pesa em média cerca de 3,2 quilos.

 Garça moura, ardea, maior garça do Brasil, Ave, maior ave do Brasil, birds, birding, birdwatching, nature, natureza e conservação, fotografia, animalBastante comum, a Garça-moura é uma espécie típica de locais com presença de água, como alagados, beira de rios, lagos de água doce, manguezais e estuários.

Sua alimentação é composta basicamente por moluscos, peixes, rãs, sapos, caranguejos e pequenos répteis.

Está presente em todos os Estados brasileiros.

3º Lugar: Gavião-real – Harpy Eagle




O gavião-real ou harpia, espécie de ocorrência rara, tem quase 1,1 metros de comprimento e a fêmea, mais pesada, pode atingir até 9 quilos. Quando em voo, sua envergadura pode atingir mais de 2 metros. Além de ser uma das maiores ave brasileira em termos de altura e peso é ainda considerada a maior ave de rapina do Brasil e a mais poderosa do mundo.

Sua alimentação é composta por mamíferos de médio porte, como macacos-prego, guaribas e preguiças, aves como araras-azuis e seriemas, além de iguanas, cobras e cachorro-do-mato.

Gavião-real, harpia, maior ave de rapina, Ave, maior ave do Brasil, birds, birding, birdwatching, nature, natureza e conservação, fotografia, animalO gavião-real é muito difícil de ser visualizado, pois habita o interior de áreas florestais em bom estado de conservação. Por ser uma espécie destemida, não tem medo de pessoas e raramente foge o que tem levado ao aumento de indivíduos abatidos por caçadores.

Atualmente pode ser encontrada em muitos Estados brasileiros, mas sua ocorrência está mais concentrada na região de floresta amazônica.

2º Lugar: Tuiuiú – Jabiru




O Tuiuiú é a ave símbolo do Pantanal. Pode atingir até 1,4 metros de comprimento e a pesar até 8 quilos. Sua envergadura pode atingir quase 3 metros. O Tuiuiú é uma espécie razoavelmente comum, podendo ser encontrada ao longo de brejos e nas margens de lagoas.

Tuiuiú, ave simbolo do Pantanal, Ave, maior ave do Brasil, birds, birding, birdwatching, nature, natureza e conservação, fotografia, animalSua alimentação é composta basicamente por insetos, répteis, moluscos, peixes e pequenos mamíferos.

É encontrado em vários Estados brasileiros, sendo mais números no Pantanal, principalmente nos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O Brasil concentra mais de 50% da população mundial de Tuiuiús.



1º Lugar: Ema – Greater Rhea



Com seus quase 1,5 metros de comprimento a Ema ocupa o primeiro lugar no rank das maiores aves do Brasil. Seu comprimento é 23 vezes maior do que a menor ave do Brasil. Possuem canelas e pescoço bem compridos e podem pesar até 40 Kg. Devido a este porte, embora tenham grandes asas, elas não voam. 

Ema, maior ave do Brasil, aves, birds, aves do Brasil, birding, birdwatching, natureza e conservação, Nature, animal,  pássaros,  Greater Rhea,  Greater, RheaOs machos diferenciam-se das fêmeas por apresentarem parte do peito e pescoço enegrecidos.

A espécie come tudo que encontra pela frente, sua alimentação é baseada em insetos, roedores, folhas, frutos, sementes, pedrinhas pequenas e outros animais pequenos. 

A Ema pode ser encontrada em quase todos os Estados brasileiros, sendo bastante comum nas plantações de sojas e áreas de cerrado aberto.

E ai! Gostou da lista? Ficou alguma espécie de fora do rank das 5 maiores aves do Brasil? Não deixe de conhecer as 5 menores aves brasileiras.

http://www.naturezaeconservacao.eco.br/2016/02/conheca-as-5-maiores-aves-do-brasil.html


domingo, 6 de agosto de 2017

Passaros da Sabedoria






O dia há-de chegar, 

com a capa de vento
a ondular
e cabelos de sol a clarear
o côncavo das grutas.

Nas mãos, o riso dos meninos
e o canto dos pássaros.
Sempre os pássaros,
com seus presságios
álacres ou soturnos.

Estarei na minha torre,
a entrançar desejos
de tapetes de flores
e de águas borbulhantes
e de pássaros verdes.
Sempre os pássaros.

O dia há-de chegar,
a embrulhar de azul
o meu castelo,
a invadir a torre,
a incitar-me ao salto,
a colar-me nos olhos
a leveza dos pássaros.
Sempre os pássaros.
Irei.
Licínia Quitério 






Desde sempre os conhecemos.
Em bandos ou solitários, nos campos, nas praias, nas cidades, os pássaros lá estão. Espiam-nos, chamam-nos, provocam-nos.
Às vezes rasam-nos o corpo, sem se deixarem tocar.
Cantam para nos acordar, gritam à procura do asilo nocturno ou aparecem de noite a piar tristezas. Louvam a vida e pressentem a morte.
Habitam os troncos das árvores ou as moitas rasteiras ou as fragas nas alturas.
Mergulham até ao peixe ou debicam as searas. Sabem tudo do vento e das tempestades.
Livres, livres. Tão alto subindo, tão alto, são a nossa inveja, a medida da nossa pequenez.
Nunca os poetas os ignoram. Ilustram-lhes os versos ou são os próprios versos.
Quem pode imaginar um mundo sem os pássaros?

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Aves exóticas, como os Periquitos Australianos

Aves exóticas, como os Periquitos Australianos, são animais de estimação muito populares em todo o mundo


Animais exóticos são aqueles originados de outros países, ou seja, são todos aqueles cuja distribuição geográfica não inclui o território brasileiro. As espécies ou subespécies introduzidas pelo homem, inclusive domésticas, que se tornaram selvagens, também são consideradas exóticas. Além daquelas que tenham sido introduzidas fora das fronteiras brasileiras ou em suas águas jurisdicionais e que entraram em território brasileiro.

O periquito australiano, ou periquito comum (Melopsittacus undulatus), é uma espécie de ave exótica psitaciforme, pertencente à família Psittacidae. Foi descrito pela primeira vez em meados de 1700, na Austrália, denominado pelos nativos da época por betcherrygah ou “boa comida”. Hoje, é uma das aves mais populares mundialmente.

Os periquitos são de constituição robusta e de criação muito fácil, pouco sujeitos a doenças. Sua criação constituí uma distração encantadora e a venda de seus numerosos filhotes permite o retorno das despesas feitas com esse magnífico entretenimento. A partir da cor verde claro e cabeça amarela, original da espécie, são selecionadas várias outras. Hoje, podemos encontrar mais de 200 tipos de variações.




A partir da cor verde claro e cabeça amarela, original da espécie, podemos encontrar mais de 200 tipos de variações de cores.



Além de ser bonito e possuir cores múltiplas, o periquito australiano é um excelente reprodutor, companheiro prazeroso e, quando bem tratado, se torna comunicativo e brincalhão. Muito carinhoso, se tiver companhia, se mostra feliz e agitado. Faz do seu dono um grande companheiro, exigindo atenção e retribuindo com sua fidelidade e amizade.

A paixão pelas aves, segundo vários relatos, acontece geralmente na infância, quando a criança pega gosto pela criação. E o mais interessante, nessa época, é fazer suas próprias experiências e, a cada momento, surpreender-se com a gama de coloridos novos que surgem no seu viveiro de reprodução. Os periquitos são uma das duas únicas especies psitaciformes verdadeiramente domesticadas, alvo de seleção e reprodução em cativeiro desde 1985.

Para os apaixonados pelos periquitos, o CPT - Centro de Produções Técnicas, elaborou o curso “Criação de Periquitos Australianos – Padrão Inglês”, no qual você estará recebendo informações do Dr. Renato Azevedo Uchôa, criador de periquitos há 34 anos, juiz da OBJO – Ordem Brasileira de Juízes de Ornitologia.

Se você escolheu ter um animal silvestre como bichinho de estimação, saiba que isso requer responsabilidade quanto aos cuidados necessários à criação do mesmo. Deve-se repeitar o comportamento do animal, cuidar da alimentação, saúde, oferecer um abrigo adequado e respeitar a legislação para criação.


Fonte: CPT – Centro de Produções Técnicas seja citado como fonte, remetendo para o site da instituição: www.cpt.com.br

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...